Lista

Fernando Pessoa

O artista como artista sente menos do que os outros homens porque produz ao mesmo tempo que sente, e nesse caso há uma dualidade de espírito incompatível com o estar entregue a um sentimento.

Nem esta obra, nem as que se lhe seguirão têm nada que ver com quem as escreve. Ele nem concorda com o que nelas vai escrito, nem discorda. Como se lhe fosse ditado, escreve; e, como se lhe fosse ditado por quem fosse amigo, e portanto com razão lhe pedisse para que escrevesse o que ditava, achava interessante – porventura só por amizade – o que, ditado, vai escrevendo

Eu era um poeta impulsionado pela filosofia, não um filósofo dotado de faculdades poéticas

Tenho pensamentos que, pudesse eu trazê-los à luz e dar-lhes vida, emprestariam nova leveza às estrelas, nova beleza ao mundo, e maior amor ao coração dos homens

Quem escreve para obter o supérfluo como se escrevesse para obter o necessário, escreve ainda pior do que se para obter apenas o necessário escrevesse

Deus é um conceito econômico. À sua sombra fazem a sua burocracia metafísica os padres das religiões todas

Um poema é a projeção de uma idéia em palavras através da emoção. A emoção não é a base da poesia: é tão-somente o meio de que a idéia se serve para se reduzir a palavras

Substitui-te sempre a ti – próprio. Tu não és bastante para ti. Sê sempre imprevenido [?] por ti – próprio. Acontece-te perante ti – próprio. Que as tuas sensações sejam meros acasos, aventuras que te acontecem. Deves ser um universo sem leis para poderes ser superior

Ao passo que a filosofia é estática, a arte é dinâmica; é mesmo essa a única diferença entre a arte e a filosofia

A obra de arte, fundamentalmente, consiste numa interpretação objetivada duma impressão subjetiva

A única realidade da vida é a sensação. A única realidade em arte é a consciência da sensação

A uma arte assim cosmopolita, assim universal, assim sintética, é evidente que nenhuma disciplina pode ser imposta, que não a de sentir tudo de todas as maneiras, de sintetizar tudo, de se esforçar por de tal modo expressar-se que dentro de uma antologia de arte sensacionista esteja tudo quanto de essencial produziram o Egipto, a Grécia, Roma, a Renascença e a nossa época. A arte, em vez de ter regras como as artes do passado, passa a ter só uma regra – ser a síntese de tudo. Que cada um de nós multiplique a sua personalidade por todas as outras personalidades

Desejo ser um criador de mitos, que é o mistério mais alto que pode obrar alguém da humanidade

Quer pouco: terás tudo. Quer nada: serás livre
Obs.: Ricardo Reis heterônimo de Fernando Pessoa

Que este processo de fazer arte cause estranheza, não admira; o que admira é que haja cousa alguma que não cause estranheza

Todos os meus escritos ficaram inacabados; sempre novos pensamentos se interpunham, associações de idéias extraordinárias e inexcluíveis, de término infinito … O Caráter da minha mente é tal que odeio os começos e os fins das coisas, porque são pontos definidos.

Descobri que a leitura é uma forma servil de sonhar. Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos?

Se alguma vez sou coerente, é apenas como incoerência saída da incoerência

O Essencial da arte é exprimir; o que se exprime não interessa

Tenho prazer em ser vencido quando quem me vence é a razão, seja quem for o seu procurador.

Deixe uma resposta

Close