Lista

Papa João Paulo II

A autêntica intuição artística vai além do que percebem os sentidos e, penetrando a realidade, tenta interpretar seu mistério escondido.

Todos os artistas têm em comum a experiência da distância insondável que existe entre a obra de suas mãos, por conseguida que seja, e a perfeição fulgurante da beleza percebida no fervor do momento criativo: o que conseguem expressar no que pintam, esculpem ou criam é só um tênue reflexo do esplendor que durante uns instantes brilhou ante os olhos de seu espírito.

O artista vive uma relação peculiar com a beleza. Num sentido muito real pode dizer-se que a beleza é a vocação à que o Criador o chama com o dom do talento artístico.

A paz exige quatro condições essenciais: Verdade, justiça, amor e liberdade.

Até que aqueles que ocupam postos de responsabilidade não aceitem questionar-se com valentia seu modo de administrar o poder e de tentar o bem-estar de seus povos, será difícil imaginar que se possa progredir verdadeiramente para a paz.

Não terá paz na terra enquanto perdurem as opressões dos povos, as injustiças e os desequilíbrios econômicos que ainda existem.

A guerra é sempre uma derrota da humanidade.

Que ninguém faça ilusões de que a simples ausência de guerra, ainda que sendo tão desejada, seja sinônimo de uma paz verdadeira. Não há verdadeira paz senão vier acompanhada de equidade, verdade, justiça e solidariedade.

A violência jamais resolve os conflitos, nem sequer diminui suas conseqüências dramáticas.

Deus não é um ser indiferente ou longínquo, pois não estamos abandonados a nós mesmos.

O sofrimento humano atingiu seu cume na paixão de Cristo.

Deus se deixa conquistar pelo humilde e recusa a arrogância do orgulhoso.

A liberdade de procurar e dizer a verdade é um elemento essencial da comunicação humana, não só com relação aos fatos e à informação, mas também e especialmente sobre a natureza e destino da pessoa humana, com respeito à sociedade e o bem comum, com respeito à nossa relação com Deus.

O homem é essencialmente um ser social; com maior razão, pode-se dizer que é um ser familiar.

A família está convocada a ser templo, ou seja, casa de oração: uma oração singela, cheia de esforço e ternura. Uma oração que se faz vida, para que toda a vida se converta em oração.

O respeito à vida é fundamento de qualquer outro direito, incluídos os da liberdade.

A vida humana deve ser respeitada e protegida de maneira absoluta desde o momento da concepção. Desde o primeiro momento de sua existência, o ser humano deve ver reconhecidos seus direitos de pessoa, entre os quais está o direito inviolável de tudo ser inocente à vida.

Quando o cristianismo se converte em instrumento do nacionalismo, fica ferido em seu coração e se converte em estéril.

A Igreja é a carícia do amor de Deus ao mundo.

A família é base da sociedade e o lugar onde as pessoas aprendem pela primeira vez os valores que lhes guiam durante toda sua vida.

O casal e a família cristã edificam a Igreja. Os filhos são fruto precioso do casal.

O futuro depende, em grande parte, da família, leva consigo o porvir mesmo da sociedade; seu papel especialíssimo é o de contribuir eficazmente com um futuro de paz.

Não há paz sem justiça, não há justiça sem perdão.

As obras de arte falam de seus autores, introduzem no conhecimento de sua intimidade e revelam a original contribuição que oferecem à história da cultura.

A vocação do cristão é a santidade, em todo momento da vida. Na primavera da juventude, na plenitude do verão da idade madura, e depois também no outono e no inverno da velhice, e por último, na hora da morte.

A verdade e a solidariedade são dois elementos firmes que permitem aos profissionais dos meios de comunicação converter-se em promotores da paz.

O diálogo, baseado em sólidas leis morais, facilita a solução dos conflitos e favorece o respeito da vida, de toda vida humana. Por isso, o recurso às armas para dirimir as controvérsias representa sempre uma derrota da razão e da humanidade.

Os meios de comunicação acostumaram certos setores sociais a escutar o que afaga os ouvidos.

O desenvolvimento é o novo nome da paz.

Por isso, América: se queres a paz, trabalha pela justiça. Se queres a justiça, defende a vida. Se queres a vida, abraça a verdade, a verdade revelada por Deus.

Se nos afastamos de Deus, quem nos garante que um dia um poder humano não reivindique de novo o direito de decidir que vida humana vale e qual não vale?

A espiral da violência só a freia o milagre do perdão.

Quando o homem se põe como medida de todas as coisas, converte-se em escravo de sua própria finitude.

Os crentes de todas as religiões, junto com os homens de boa vontade, abandonando qualquer forma de intolerância e discriminação, estão convocados a construir a paz.

Me afeta qualquer ameaça contra o homem, contra a família e a nação. Ameaças que têm sempre sua origem em nossa debilidade humana, na forma superficial de considerar a vida.

A Igreja de hoje não precisa de cristãos em tempo parcial, mas sim de cristãos em tempo integral!

O verdadeiro conhecimento e a autêntica liberdade se acham em Jesus. Deixai que Jesus faça parte sempre de vossa fome para valer a justiça, e de vosso compromisso pelo bem-estar de vossos semelhantes.

Somente a liberdade que se submete à Verdade conduz a pessoa humana a seu verdadeiro bem. O bem da pessoa consiste em estar na Verdade e em realizar a Verdade.

Em realidade, todas as coisas, todos os acontecimentos, para quem sabe lê-los com profundidade, encerram uma mensagem que, em definitiva, remete a Deus.

A democracia precisa da virtude, se não quiser ir contra tudo o que pretende defender e estimular.

Amar é o contrário de utilizar.

A pior prisão é um coração fechado.

A evolução é compatível com a fé cristã.

Um Estado moderno não pode fazer nem do ateísmo nem da religião um de seus ordenamentos políticos.
Obs.: Em Cuba, em 1998.

A mulher é capaz de colaborar com o homem, porque ela é sua perfeita duplicata, na mesma qualidade.
Obs.: Condenando a exploração e o abuso da mulher no turismo sexual e na prostituição.

Nós nos entristecemos pelo comportamento daqueles que, no curso da História, fizeram suas crianças sofrerem e, pedindo perdão, esperamos nos tornar irmãos.
Obs.: Sobre a omissão da Igreja durante o Holocausto.

Nós perdoamos e pedimos perdão. Pedimos perdão pelas divisões entre os cristãos, pelo uso da violência que alguns cristãos empregaram em nome da fé e pelo comportamento de desconfiança e hostilidade algumas vezes adotado em relação a seguidores de outras religiões.

Que Cuba se abra ao mundo com todas as suas magníficas possibilidades e que o mundo se abra a Cuba. Obs.: Em Cuba, em 1998.

Em cada continente, os gritos por piedade perecem aumentar a cada dia. O mundo de hoje precisa muito do perdão de Deus. Onde o ódio e a sede por vingança estiverem, que a graça e a piedade de Deus estejam também nas mentes humanas.
Obs.: Fazendo apelo para acabar com as guerras e o sofrimento no mundo, em 2002.

A terceira idade é uma dádiva de Deus e chegar a ela é um privilégio.

Uma vez que se privou o homem da verdade, é pura ilusão pretender torná-lo livre. Verdade e liberdade, com efeito, ou caminham juntas, ou juntas miseravelmente perecem.

A juventude não é apenas um período de vida (…), mas uma qualidade de alma que se caracteriza precisamente por um idealismo que se abre para o amanhã.

Vocês são o futuro do mundo, vocês são a esperança da Igreja, vocês são a minha esperança.
Obs.: Em 22 de outubro de 1978, após a liturgia inaugural do seu Pontificado, na Praça de São Pedro, dirigindo-se aos jovens.

Rico, de fato, não é aquele que tem, mas aquele que dá.

O desemprego do homem deve ser tratado como tragédia e não como estatística econômica.

A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida, a liberdade do ser humano.

Se Deus for Brasileiro, o Papa é carioca.

Deixe uma resposta

Close