Lista

Romário

Casamento começa em motel e termina em pensão.

Se eu for à Copa do Mundo, deve ser pelo que estou fazendo, não por aquilo que fiz. E por isso penso que é normal que eu vá, já que agora sou o melhor.

Sou autêntico, real, claro e difícil.
Obs.: Antes de participar da Copa de 94, nos Estados Unidos.

Técnico bom é aquele que não atrapalha.

Só de saber que hoje a Seleção tem um treinador honesto, que convoca o jogador independentemente do nome ou do clube em que joga, já é bom.
Obs.: Em 2001, sobre Emerson Leão.

O melhor que eu posso fazer é gol. A partir do momento em que eu fizer mais que o adversário, vamos ganhar.

Quero que o Flamengo se dane!

Acordar cedo está sendo duro demais. Fazer o quê? Faz parte da profissão.

Esse é o horário que costumo chegar em casa para dormir.

A gente também é ser humano.

Eles sempre pedem dinheiro. É para gravar CD, para organizar churrasco. Eu não dou. Quem quiser dinheiro que vá trabalhar.

Não recebo há quatro anos, dois no Flamengo e dois no Vasco.

Diante de Felipão, mostrei um pouquinho do que eu sei.
Obs.: Em 2002, sobre os dois gols que fez na vitória do Vasco sobre o São Paulo, partida vista por Luiz Felipe Scolari, que não o convocou para a Seleção Brasileira.

Não viu de novo? Aí, não posso fazer mais nada.

Nesse você ganhou. É mais baixinho que eu. falando com o atacante Ronaldinho, de 1,64.

Está mais tranqüilo aqui do que no Rio.
Obs.: Em 2003, sobre a temporada no Qatar, país próximo do Iraque.

Não estou aqui para salvar mais nada. Os anos passam. sobre a sua volta ao Fluminense.

Deixo muito a desejar. Prejudico o time. Sobre as suas atuações no Fluminense.

Como vou aturar um mala igual a mim?

Não digo que será o meu último ano porque falo nisso há quase uma década.
Obs.: Em 2004, sobre a sua aposentadoria.

Da geração de 70 até hoje, eu sou o mais importante jogador que surgiu no Brasil.

Tô quebrado, peixe. negando o pedido de pensão de R$ 10 mil da ex-modelo Edna Velho, mãe de seu filho.

Que parar o quê!
Obs.: Em 2005, no dia seguinte ao anunciar que encerraria a carreira.

Quero deixar bem claro que não vou parar.
Obs.: Em 2005, no dia seguinte ao anunciar que encerraria a carreira.

Parei. Não dá mais. Não tenho mais vontade.
Obs.: Anunciando o fim da carreira, em 01/2005.

O Pelé calado é um poeta. Dentro de campo, ele foi o nosso pai. Fora dele, tem de colocar um sapato na boca. irritado porque Pelé disse que estava na hora de o baixinho parar de jogar.

É o que eu sempre digo, Deus apontou um dedo para mim e disse: Esse é o cara.

Quando durmo muito, não faço gols, por isso gosto de ficar na noite.

Não sou unanimidade nem na minha família. Não sou exemplo para ninguém. Diria ao Robinho para não fazer 90% do que fiz fora de campo. Mas, se ele fizer 60% do que fiz dentro de campo, estará muito bom.

Do jeito que eu bati, até minha mãe pegava. sobre o pênalti que perdeu em jogo contra a Ponte Preta.

Foi o Eurico Miranda que me colocou no partido. E ele me disse que eu posso ser deputado.

Treinar pra quê, se eu já sei o que fazer.

É que na querência de ganhar o jogo, acabam acontecendo coisas desse tipo.

Fechar