Lista

Rui Barbosa

O ensino, como a justiça, como a administração, prospera e vive muito mais realmente da verdade e moralidade, com que se pratica, do que das grandes inovações e belas reformas que se lhe consagrem.

No culto dos grandes homens não pode entrar a adulação.

A eleição indireta tem por base o pressuposto de que o povo é incapaz de escolher acertadamente os deputados.

Só o bem neste mundo é durável, e o bem, politicamente, é todo justiça e liberdade, formas soberanas da autoridade e do direito, da inteligência e do progresso.

É preciso ser forte e conseqüente no bem, para não o ver degenerar em males inesperados.

Quanto maior o bem , maior o mal que da sua inversão procede.

Sem o senso moral, a audácia é a alavanca das grandes aventuras.

Não há outro meio de atalhar o arbítrio, senão dar contornos definidos e inequívocos à condição que o limita.

Criaturas que nasceram para ser devoradas, não aprendem a deixar-se devorar.

A acusação é sempre um infortúnio enquanto não verificada pela prova.

A mesma natureza humana, propensa sempre a cativar os subservientes, nos ensina a defender-nos contra os ambiciosos.

Outrora se amilhavam asnos, porcos e galinhas. Hoje em dia há galinheiros, pocilgas e estrebarias oficiais, onde se amilham escritores.

A espada não é a ordem, mas a opressão; não é a tranqüilidade, mas o terror, não é a disciplina, mas a anarquia não é a moralidade, mas a corrupção, não é a economia mas a bancarrota.

Os que ousam ser leais à sua fé, são cobertos até de ridículo.

Embora acabe eu, a minha fé não acabará; porque é a fé na verdade, que se livra acima dos interesses caducos, a fé invencível.

Nenhum povo que se governe, toleraria a substituição da soberania nacional pela soberania da espada.

O exército não é um órgão da soberania, nem um poder. É o grande instrumento da lei e do governo na defesa nacional.

A soberania da força não pode ter limites senão na força.

Um povo cuja fé se petrificou, é um povo cuja liberdade se perdeu.

O espírito da fidelidade e da honra vela constantemente, como a estrela da manhã da tarde, sobre essas regiões onde a força e o desinteresse, o patriotismo e a bravura, a tradição e a confiança assentaram o seu reservatório sagrado.

Na paz ou na guerra, portanto, nada coloca o exército acima da nação, nada lhe confere o privilégio de governar.

Toda a capacidade dos nossos estadistas se esvai na intriga, na astúcia, na cabala, na vingança, na inveja, na condescendência com o abuso, na salvação das aparências, no desleixo do futuro.

A existência do elemento servil é a maior das abominações.

Se os fracos não tem a força das armas, que se armem com a força do seu direito, com a afirmação do seu direito, entregando-se por ele a todos os sacrifícios necessários para que o mundo não lhes desconheça o caráter de entidades dignas de existência na comunhão internacional.

Em cada processo, com o escritor, comparece a juízo a própria liberdade.

O escritor curto em idéias e fatos será, naturalmente, um autor de idéias curtas, assim como de um sujeito de escasso miolo na cachola, de uma cabeça de coco velado, não se poderá esperar senão breves análises e chochas tolices.

O homem, reconciliando-se com a fé, que se lhe esmorecia, sente-se ajoelhado ao céu no fundo misterioso de si mesmo.

Maior que a tristeza de não haver vencido é a vergonha de não ter lutado !

A esperança é o mais tenaz dos sentimentos humanos: o náufrago, o condenado, o moribundo aferram-se-lhe convulsivamente aos últimos rebentos ressequidos.
Obs.: A Ditadura de 1893.

Eu não troco a justiça pela soberba. Eu não deixo o direito pela força. Eu não esqueço a fraternidade pela tolerância. Eu não substituo a fé pela superstição, a realidade pelo ídolo.

Dilatai a fraternidade cristã, e chegareis das afeições individuais às solidariedades coletivas, da família à nação, da nação à humanidade.

O governo da demagogia não passa disso: o governo do medo.

Nada mais honroso do que mudar a justiça de sentença, quando lhe mudou a convicção.

A justiça atrasada não é justiça, senão injustiça qualificada e manifesta.

A escravidão do negro é a mutilação da liberdade do branco

Amigos e inimigos estão em posições trocadas. Uns nos querem mal, fazem-nos bem. Outros almejam o bem e nos fazem mal.

A verdadeira igualdade consiste em aquinhoar desigualmente seres desiguais.

De tanto ver triunfar as nulidades; de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça. De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto.

Medo, venalidade, paixão partidária, respeito pessoal, subserviência, espírito conservador, interpretação restritiva, razão de estado, interesse supremo, como quer te chames, prevaricação judiciária, não escaparás ao ferrete de Pilatos! O bom ladrão salvou-se. Mas não há salvação para o juiz covarde.

A miopia intelectual é a mais constante geradora do egoísmo.

A força não constrói, não une, não pacifica. Os grandes exércitos e os armamentos são o infortúnio e o desassossego dos países militarizados.

A imprensa é a vista da nação. Por ela é que a nação acompanha o que lhe passa ao perto e ao longe, enxerga o que lhe malfazem, devassa o que lhe ocultam e tramam, colhe o que lhe sonegam, ou roubam, percebe onde lhe alvejam, ou nodoam, mede o que lhe cerceiam, ou destroem, vela pelo que lhe interessa, e se acautela do que ameaça.

As leis que não protegem nossos adversários não podem proteger-nos.

Uma raça, cujo espírito não defende o seu solo e o seu idioma, entrega a alma ao estrangeiro, antes de ser por ele absorvida.

O delírio dos erros incuráveis acerba-se com os embaraços opostos pela razão.

O pão é o ventre, o centro da vida orgânica. O ideal é o espírito, órgão de vida eterna.

A vida parlamentar, a administração e o jornalismo têm sido, em toda parte, os mais poderosos corruptores da língua e do bom gosto.

A pressa é inimiga da perfeição.

A inteireza do espírito começa por se caracterizar no escrúpulo da linguagem.

Não há nada mais relevante para a vida social que a formação do sentimento da justiça.

Não é possível estar dentro da civilização e fora da arte.

As leis são um freio para os crimes públicos – a religião para os crimes secretos.

Não se evita a guerra preparando a guerra. Não se obtém a paz senão aparelhando a paz.

A justiça pode irritar-se porque é precária. A verdade não se impacienta, porque é eterna.

Muito há que alguém disse: ‘O sábio sabe que não sabe’.

A pátria é a família amplificada.

A morte não extingue, transforma; não aniquila, renova; não divorcia, aproxima.

Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles.

Fechar